• Maria Clara C. (5º A) e Murilo R. (5º B)

Leitura em dose dupla!


Com tanta leitura e escrita na vida da criançada, hoje teremos resenha em dobro! Um mesmo livro, dois olhares e muito amor e responsabilidade pelo que estão fazendo. É assim que conheceremos as opiniões de Maria Clara e Murilo, sobre o livro de Andréa Pelagagi, As amigas que fiz.

As amigas que fiz

As amigas que fiz é um livro muito interessante. "Uma viagem ao universo das diferenças", onde podermos perceber o jeito de cada uma dessas onze meninas, descritas em cada página encantadora.

Um livro muito bem escrito, com figuras belíssimas. Acho que esse livro poderia conter um pouco mais de detalhes, mas ele me fez perceber a grande diversidade de viver.

Como Ronaldo Cagiano diz, "Cada um, com seu modo de ser, nos ajuda a compreender que existir é plural de viver" e é isso que esse livro nos traz.

Pessoas surpreendentes

Você que está lendo, está preparado para conhecer variedades de pessoas? Se sim, venha comigo para essa incrível leitura.

O livro conta sobre uma menina que conhece várias meninas diferentes uma das outras, umas mais altas, outras mais baixas, com gostos diversos e algumas que parecem de outro país.

Eu adorei o livro, porque ele conta vários gostos e mostra a visão de uma pessoa sobre muitas pessoas. Eu acho que a autora poderia desenvolver um pouco mais o enredo. Fora isso o livro é muito bom, vale a pena comprar, se você gostar de ler.

Ficha técnica:

Título: As amigas que fiz

Autora: Andréa Pelagagi

Ilustrador: Luiz Zonzini

Editora: Motirô

Número de páginas: 32

Agora é hora de conhecer a autora e nossos resenhistas:

Nasci em Juiz de Fora, cidade mineira do ladim do Rio de Janeiro, onde a gente fala com o "r" raspando na garganta. Por causa desse "r", implicaram comigo quando fui morar no triângulo mineiro e, mais tarde, também por causa desse "r", acharam que era era francesa, nas minhas visitas aos países vizinhos de América do Sul. O "r" fica marcado também no espanhol de turista. Olhando pra trás, acho seguro dizer que sempre gostei de aprender. Ainda é das coisas de que mais gosto. E dois dos meus jeitos favoritos de aprender são ler e viajar. Me formei em Relações Internacionais e Ciência Política e vivo há mais de dez anos em São Paulo. Há pouco tempo, virei também Portuguesa. Dupla cidadania. Resolvi ir à fundo na herança que minha avó materna me deixou e que é geneticamente inegável. Tenho sempre livros comigo. São bons companheiros. Lembro com carinho de alguns que marcaram o começo da minha vida de leitora: mais de um da Beatrix Potter, o Menino Maluquinho (do Ziraldo), História do mundo para crianças (do Monteiro Lobato), os almanacões da turma da Mônica (do Maurício de Souza), a Enciclopédia Barsa, As Brumas de Avalon (da Marion Zimmer Bradley), Senhora (do José de Alencar), Memórias Póstumas de Brás Cubas (do Machado de Assis), Vidas Secas (do Graciliano Ramos) e Assim Falou Zaratustra (do Nietzsche). Além de muitos poetas, quase todos de língua portuguesa. Isso foi até chegar aos doze anos. Continuo lendo bastante e sem distinção de gênero ou de faixa etária recomendada. E escrevo segundo este mesmo princípio da não distinção. São os textos que escolhem o que querem ser. Também continuo aprendendo o quanto posso em cursos aleatórios. Continuo viajando sempre que posso. Leio em média um livro por semana. Não tenho filhos. Acho que ainda sou bem parecida com a criança que eu fui. E quero viver 115 anos e sempre enxergar poesia.

Andréa Pelagagi

Olá, meu nome é Maria Clara e tenho 10 anos. Gosto muito de desenhar, geralmente personagens de desenhos animados e uma das minhas maiores paixões são os livros. Leio mais livros de ficção e romance, principalmente para minha idade.

Lembro bastante das brincadeiras que realizamos com minhas amigas e que até hoje faço e lembro também da minha cidade natal, Ribeirão Preto.

Um dos meus maiores sonhos é viajar para todos os países do mundo para poder conhecer diferentes culturas e aspectos. Espero que tenham gostado da resenha!

Oi, eu sou o Murilo R., tenho 10 anos e as coisas que mais gosto de fazer são: brincar com meus amigos e jogar vídeo game. Eu gosto de ler diversos gêneros, mas eu prefiro suspense.

A infância, se não for a melhor, é uma das melhores fases da vida e uma das coisas que gosto de fazer na infância é ir na casa dos meus amigos e jogar bola, jogar vídeo game e viajar com meus avós e familiares. Agora, o que todos me perguntam é quais são os meus planos para o futuro. Em casa, eu quero ter a profissão de cozinheiro e no trabalho fora de casa eu ainda não decidi.

Olá a todos os navegantes desse projeto! Muitos textos e experiências bacanas já estão sendo compartilhados por aqui. A participação de cada um de vocês com comentários também é sempre muito bem-vinda e enriquece a proposta. Não se intimidem: escrevam! Vocês são convidados a participar exatamente para que possam aprimorar seus conhecimentos na língua portuguesa. Estamos trabalhando para orientá-los nas suas dúvidas e derrapadas aqui dentro do blog. Enquanto desenvolvemos essa tecnologia, trabalhamos esses desvios ortográficos em sala de aula, além de nos colocarmos à disposição para o esclarecimento de dúvidas pelo e-mail: claudiamarczak@gmail.com. Contamos com a compreensão de vocês e seguimos viagem!


111 visualizações