• Giovana 5º B

Eita, barulhinho bom!


Barulhinho de chuva no telhado, de passarinho cantando, de musica de ninar e tantos barulhinhos bons que nos cercam diariamente nos fazem perceber a música da vida. E os sons se transformaram em palavras, que se transformaram num livro resenhado por uma garotinha que é pura alegria!

MÚSICA... OU MELHOR, BARULHOS PARA MEUS OUVIDOS

Oi, eu sou a Giovana mas pode me chamar de Gigi, e se você gosta de livros, eu te indico um. O nome dele é “Que amores de sons!”. É um livro gostoso de ler, com ilustrações que fazem a nossa imaginação viajar pelos barulhinhos das onomatopeias. Como a vida pode ser feita de pequenos barulhinhos.

O livro conta a história de uma mulher e um homem, eles são pessoas comuns, nem tão altos e nem tão baixos, nem tão gordos e nem tão magros. São pessoas que podemos encontrar por aí, andando na rua.

A mulher gostava muito dos barulhinhos, mas seus barulhinhos estavam do lado de dentro, eles moravam dentro de sua cabeça! Já o homem, também gostava dos barulhinhos, só que os seus estavam do lado de for, estavam por aí, andando por todos os lugares. Até que os barulhinhos...

Aha! Você não achou que eu contaria a história, achou? Se você quer saber o que acontece leia o livro em uma livraria perto de você. E descubra como o amor pelos barulhinhos e a simplicidade podem juntar dois corações com música e poesia.

CRÉDITOS: <-- Invenção de Giovana para renomear a Ficha Técnica

Escritores: Penélope Martins e Alexandre Honrado.

Ilustradora: Nívola Uyá.

Editora: Editora do Brasil.

Versão Brasileira: Periscópio. <-- Outra invenção de Gigi

Número de páginas: 40

Vamos conhecer a autora e a resenhista?

Meu nome é Giovana Contato eu tenho 10 anos. Eu adoro ler gibi e comédia e também adoro animais, tudo colorido e da minha cachorra Evie. Minha infância é incrível com muitos amigos legais e brincadeiras. Quando eu crescer vou ser veterinária, artista, roteirista do gibi da turma da mônica e escrever um livro de uma personagem que eu inventei.

Comecei bem cedo com a mania palavrear para viver. Aos sete já me divertia imenso com as tarefas de redação, depois comecei a escrever poeminhas para uma pasta que, infelizmente, deitei fora na rebeldia de adolescente. Lá pelos dez anos eu já era doida por máquina de escrever e a loucura não passou até hoje.

A paixão pela leitura andou junto com minha vontade de brincar com palavras. Mas teve a música como fundo, enquanto eu lia os encartes dos discos de Caetano Veloso.

Nas voltas que o mundo dá, que são tantas, eu me formei em Direito e segui pós graduação em Direito Constitucional, já com olho atento em Direitos da Criança. Depois fui contemplada com um período na Filosofia que fez, entre outras coisas, eu me aproximar da LITERATURA como autora.

Hoje sou escritora, narradora de histórias, colunista de literatura e também me divirto na interlocução de oficinas que versam sobre leitura e produção de texto.

Tenho desenvolvido projetos de troca literária e me interesso por tudo que esteja ligado ao LIVRO, principalmente o livro enigmático que é o próprio leitor.

Escrevo uma coluna sobre literatura que vai ao ar toda quinta-feira, no Jornal ABCD Maior . As colunas são compartilhadas no meu blog Toda Hora Tem História (é só procurar no menu pelo item ‘coluna gostar de ler’).

Minhas travessuras em narrações de histórias também acontecem com canções autorais, o que pode ser visto no Projeto Mar de Palavras : Travessias e Diálogos da Nossa Língua Portuguesa. Contribuo com o blog Clube de Leitores de Portugal, com ritmo brasileiro, sob rubrica “É do Borogodó!”.

Para adultos, mantenho o aromático blog Azeite e Alecrim com uma biblioteca de poemas escolhidos a dedo e contos que misturam culinária e amor.

Se quiser entrar em contato comigo, envie sua mensagem para penelopemartins@uol.com.br ou me encontre na Rede Social Facebook https://www.facebook.com/penelopemartins?ref=tn_tnmn


35 visualizações