• Vários

Escola é vida!


Nada é mais importante que proporcionarmos uma educação de qualidade para as crianças e jovens. E, pelo mundo afora, vemos o quanto a molecada gosta da escola e encontra nela um espaço afetivo para sua formação. Hoje teremos textos de crianças de várias idades e realidades diversas. O mais lindo de tudo isso é saber que a escola faz parte da vida deles. Vamos começar pela Áustria, conhecendo uma escola que tem quase a idade do Brasil:

Akademisches Gymnasium

O Liceu Académico é a escola onde temos as aulas de português Esta é uma escola avançada que começa a partir do 5º ano e vai até 12º ano escolar.

O Liceu Académico foi fundado em 1553. É portanto o liceu mais antigo de Viena e o segundo mais antigo da Áustria. Localiza-se no Primeiro Distrito (bairro central) de Viena e perto da estação “Stadtpark“ (do parque estadual da cidade) que é visitado por muitos turistas diariamente.

A escola tem ênfase em disciplinas humanas, comparado com outros liceus de Viena tradicionais é mais liberal.

As Línguas obrigatórias são: Alemão, Inglês, Latim, Francês e uma lingua optional (chinês, russo,italiano, espanhol ou grego antigo). Lá também ocorrem aulas de Língua de Herança, como as nossas de Português. Há também aulas de Dari (língua persa) e ucraniano.

Outras disciplinas interessantes que vão além das obrigatórias: Ética, Teatro de Improvisação/Teatro em Francês, Fotografia e Vídeo, Formação Política (Votar aos 16 anos), Cursos de Retórica

O belo prédio foi planejado por Friedrich Schmidt, que mais tarde planejou o prédio da Prefeitura de Viena. Por ser todo em estilo neo-gótico, a escola também é conhecida e carinhosamente chamada de “Escola do Harry Potter”.

Devido a sua longa história e tradição, a escola já teve alunos importantes como:

– Stanislaus Kostka (1550- 1568). santo da igreja católica de origem polonesa

– Franz Schubert (1797 - 1828), compositor

– Ignaz Franz Castelli (1781- 1862), escritor

– Cajetan Felder (1814 – 1894), prefeito de Viena

– Otto Wagner (1841 – 1918), arquiteto

– Michael Hainisch (1858 -1940), presidente da Áustria

– Lise Meitner (1878 – 1968), física, descobridora da fissão nuclear

– e muitos outros nomes nas diversas áreas de conhecimento.

Os anos depois da I Guerra Mundial não foram muito felizes e a escola quase teve que fechar suas portas por falta de matrícula. Na II Guerra Mundial, muitos professores e alunos tiveram de fugir por causa de Hitler. Os alunos judeus, que eram muitos, tiveram que deixar a escola. Um deles se chamava Walter Kohn, foi retirado da escola durante a aula, mas conseguiu fugir com a sua família para o Canadá e mais tarde para os Estados Unidos, onde em ganhou o Prêmio Nobel de Física.

Hoje há uma placa que lembra esses tempos tristes.”Wir erinnern uns an jene Schüler und Lehrer, die 1983 diese Schule verlassen mussten, weil sie Juden waren. - Nós nos lembramos daqueles alunos e professores que em 1938 tiveram que deixar a escola por serem judeus.”

Atualmente estudam aproximadamente 650 alunos em 24 turmas na escola. O diretor chama-se Mainhard Trummer e lá lecionam aproximadamente 60 professores. A escola é pública e gratuita. Curiosamente e por acaso, localiza-se logo em frente da Embaixada do Brasil em Viena. Ficamos felizes e gratos em poder usar as suas belas salas.

Texto escrito e fotos tiradas em conjunto pelos alunos da classe ¨Avançado 1¨, revisado pela profa. Daniella Ringhofer. Ajuda da ¨Wikipedia¨ e do site da própria escola: www.akg-wien.at/

Depois de conhecer a escola austríaca vamos ver o belo e sensível texto de Maria Vitória, de Nova Laranjeiras, no Paraná.

Do Colégio avisto o mundo

Olá, eu vim aqui para escrever esse texto, agora peço a sua atenção para ler até o final. Sabe, eu não sei o que acontece com a sua vida escolar ou particular, mas vim aqui pedir para você não desistir, se você chegou até esse ano no colégio é porque você desejar ter algo.

Você deseja algo? Eu acho que sim, nós humanos precisamos de ajuda e principalmente de nós mesmo, necessitamos cada vez mais de amor e carinho, também de compreensão da escola e dos professores que estão conosco dia-a-dia.

O colégio também é uma família. Já parou para pensar que você vive 4 horas com 20 ou 30 pessoas no dia? Por isso aprendemos muitas coisas boas e passamos por momentos desagradáveis.

O colégio é mais ou menos o “mundo lá fora” onde tem gente legal, falsa, metida e todo tipo de gente, é como uma réplica do mundo, mas sabe? Você aprende muito, você aprende a compartilhar valores e ter amizades incríveis, como também ter brigas desnecessárias.

Sabe, o colégio onde estudo, é bacana, a estrutura é maravilhosa não falta nada, mas as vezes a relação entre os estudantes é um pouco complicada, eu sinto que falta mais diálogo. Precisamos valorizar a vida, a humanidade grita por socorro, o diálogo faz com que as pessoas mudem a maneira de pensar.

Agradeço ao meu colégio Rui Barbosa por ter me estendido a mão até aqui e por ter me auxiliado em muitos momentos difíceis. Alguns professores e amigos foram anjos em minha vida.

O Colégio Rui Barbosa é a janela que meus olhos veem o mundo.

Maria Vitória Alves Miranda - Colégio Estadual Rui Barbosa - Nova Laranjeiras - Paraná

A escola também é um espaço de amor e encontros, é o que percebemos no texto de Fernanda, do Colégio Presidente Kennedy, Santos, São Paulo.

Como eu amo minha escola

Minha escola é bem legal os professores são muitos legais a escola é maravilhosa as coordenadoras (Paula e Carla) elas valorizam muito um por um dos alunos dessa escola, as auxiliares são muito amorosas e muito dedicadas.

Eu sou aluna da tia Kelly e da auxiliar Fátima elas são muitíssimo legais, amorosas e engraçadas. A aula que eu mais gosto é português, estamos aprendendo adjetivo + substantivo verbo + numeral e assim por diante . Também temos outras aulas, Geografia, Ciências,História e etc, é bem legal.

Temos o recreio, lá fazemos atividades e brincadeiras. Tem educação física, lá brincamos de pega pega gato e rato queimada rouba bandeira etc.

Estamos fazendo uma competição bem legal. É assim, quem ler 30 livros primeiros ganha muitos mais livros.

Na sexta-feira acordamos 7 horas da manhã e entramos 8 horas na escola. Primeiro temos Artes, depois Habilidades emocionais e aí por último inglês.

A escola é dividida do infantil um ao ensino médio.

Fernanda - Colégio Presidente Kennedy - Santos - São Paulo

E já que estamos navegando pelo mundo, vamos dar um pulinho na França e saber sobre as escolas de lá, por Lilla:

Bom dia!

Eu me chamo Lilla e tenho 10 anos.

Minha professora se chama Mme Berger, o diretor M. Barat eminha melhor amiga Manon. Minha escola se chama Henri Matisse e ela é pequena (minha classe também). Meus camaradas de classe são simpáticos!

Na minha classe nós estamos estudando círculo em geometria, o passado em conjugação e divisões em cálculo. No recreio eu brinco de carimba e de gato e rato. E você?

Lilla - Henri Matisse - França

Até quem ainda não está alfabetizado consegue, com uma ajudinha, a mostrar suas atividades na escola. Gabriela, com a ajuda da mamãe Rosana, nos conta um pouquinho sobre um duende danadinho que apareceu na escola dela:

O nome da minha escola é Ponderosa Elementary. Minha professora, a Mrs Penna, lê muitos livros pra gente. Eu gosto quando os alunos mais velhos vêm na nossa sala. No “100 Dias de Aulas” um menino da primeira série me acompanhou. Fizemos muitas atividades. E no “San Patrick’s Day” um menino da terceira série fez uma armadilha comigo pra pegar o duende irlandês. Não funcionou. O duende que se chamava Liam era muito travesso. Ele entrou na nossa sala escondido e fez uma bagunça!

Gabriela - South San Francisco - EUA


0 visualização