• Arthur - 5º B

O bicho homem


Na nossa Maratona de Resenhas 2019 estamos tendo a honra de contar com a parceria de muitos escritores e escritoras que acompanham há tempos nossas crianças. Ricardo Azevedo nos presenteou com livros e nós, gratos pela sua participação, despertamos mais leitores críticos. Arthur, que é um garoto de poucas palavras, aceitou o desafio e resenhou O motoqueiro que virou bicho e foi muito pontual em suas observações. Vamos ver o que ele achou?

Que bicho o homem é?

Um livro criativo e interessante, pensei que não seria legal, mas me enganei, quando li a sinopse, me apaixonei.

O que o livro conta?

O livro é O Homem que Virou Bicho, fala sobre um menino chamado Lúcio, que se transformou em um cachorro que passa por diversas situações de amadurecimento e crescimento.

Eu sou o Arthur, tenho 10 anos. Sou um menino que gosta de esporte e de ler bastante. Estudo no Colégio Presidente Kennedy, estou no 5° ano.

FICHA TÉCNICA:

Título: O Homem que Virou Bicho

Autor: Ricardo Azevedo

Número de páginas: 224

Editora: Moderna

Vamos conhecer um pouco mais do autor?

Ricardo Azevedo, escritor e ilustrador paulista nascido em 1949, é autor de muitos livros para crianças e jovens, entre eles Um homem no sótão (Ática), A casa do meu avô (Ática), Aula de carnaval e outros poemas (Ática), Trezentos parafusos a menos (Moderna), Livro dos pontos de vista (Ática), Armazém do Folclore (Ática), Histórias de bobos, bocós, burraldos e paspalhões (Ática), O livro das palavras (Editora do Brasil), O sábio ao contrário (Editora do Brasil), Contos de enganar a morte (Ática), Chega de saudade (Moderna), Contos de espanto e alumbramento (Scipione), O livro de papel (Editora do Brasil), Ninguém sabe o que é um poema (Ática), Feito bala perdida e outros poemas (Ática), O leão da noite estrelada (Saraiva), Contos e lendas de um vale encantado (Ática), Fazedor de tatuagem (Moderna), O chute que a bola levou (Moderna), O motoqueiro que virou bicho (Moderna), Fragosas brenhas do mataréu (Ática), O livro das casas (Moderna) e Caderno veloz de anotações, poemas e desenhos (Melhoramentos).

Ganhou várias vezes o prêmio Jabuti com os livros Alguma coisa (FTD), Maria Gomes (Scipione), Dezenove poemas desengonçados (Ática), A outra enciclopédia canina (Companhia das Letrinhas), Fragosas brenhas do mataréu (Ática), entre outros prêmios como o APCA.

Tem livros publicados na Alemanha, Portugal, México, França e Holanda e textos em coletâneas publicados na Costa Rica.


39 visualizações