Pelo mundo afora

Nossa viagem pelo mundo continua e tem muita gente trabalhando para ensinar o Português como Língua de Herança pelo mundo. Chegou a hora de conhecer o Japão e também uma cidade muito especial do interior o Paraná. Muitos olhares para mostrar para todos um pouco do mundo que eles conhecem. Vamos primeiro conhecer os parceiros do Projeto Construir Artel.

O Projeto Construir ARTEL é uma iniciativa de ensino do Português como Língua de Herança( PLH), na cidade de Sakai, estado de Osaka. As crianças e jovens que participam do projeto tem de 6 a 22 anos e vêm de muitas cidades de Osaka. Algumas ainda não escrevem, leem ou falam português e vieram com seus pais para o Japão quando muito pequenas ou nasceram aqui. Muitas nunca foram para o Brasil, mas carregam no coração suas raizes brasileiras. Cada uma tentou mostrar o um pouquinho do Estado de Osaka e das cidades onde vivem. Teve até um pai que se animou a escrever um pouco sobre a cidade de Sakai. Vamos ver o que ele nos conta:

Meu nome é Paulo, tenho 48 anos e agora vivo na cidade de Sakai. Aqui na cidade de Sakai não vivem muitos brasileiros. É uma cidade tranquila. Tem tudo o que uma cidade grande tem: restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência e grandes magazines. Tem também heranças portuguesas, do século XVI, como palavras que foram agregadas ao vocabulário japonês, como por exemplo: vidro, grande, Castela, capa, copo, pão , botão e muitas outras, só que com uma pronúncia um pouco diferente. Os portugueses também trouxeram objetos como armas de fogos e doces como o bolo de Castela e confeitos. Sakai tem também um dos maiores túmulos da era Kofun, século V, são túmulos de imperadores e que têm formato de fechadura. Sakai é uma cidade portuária e tem uma grande área aterrada. Convido a todos fazerem uma viagem através das fotos e desenhos das nossas crianças.

Kaori, a filha de Paulo fez um desenho da cidade, juntamente com a amiga Nami.


Do Japão diretamente para o Paraná. Jovens de uma turma bastante empenhada da cidade de Nova Laranjeiras e escreveram para mostrar a cidade para nós. A distância no mundo das palavras é num piscar de olhos!