Luz e cultura

Sob o céu, inúmeros povos habitam esse nosso planetinha, buscando a felicidade e a realização de seus sonhos. Nessa semana comemoramos o Dia do Índio e Tainá vai nos contar um pouco sobre essa riquíssima cultura. E como cultura e conhecimento não ocupam espaço, vamos conhecer um pouco mais do Japão e de Santos, pelos olhos dos seus pequenos habitantes. É um mundo iluminado pelos sonhos dessa criançada! Vamos começar?


Cultura indígena


Eu me chamo Tainá Aparecida Soares, tenho 10 anos, moro na comunidade de Guaraí, Nova Laranjeiras, no estado do Paraná, região Sul do Brasil, estudo na Escola Municipal do Campo Érico Veríssimo.

Hoje quero contar sobre os indígenas do meu município. Nova Laranjeiras tem a maior Terra Indígena do nosso estado, nela há duas tribos os Kaigang e Guarani, com aproximadamente 3.500 índios. As línguas faladas são Kaigang e Guarani, mas eles falam e entendem muito bem o português. A maioria das pessoas pensam que os índios, andam sem roupas e moram em malocas, mas quem pensa assim está enganado, a maioria deles andam com roupas de marca e moram em casas bonitas, que tem até aquecedor solar.

Uma atividade indígena que chama muito a atenção é o artesanato, os índios são muito criativos e fazem peneiras que usamos para escolher feijão, filtro dos sonhos, balaios, arco e flecha, brincos, colares, pulseiras e enfeites para o cabelo, tudo feito com taquara trançada, penas coloridas e barbantes. Os índios fazem também pinturas no corpo, elas são usadas para festas de casamentos, homenagens aos seus antepassados, identificação das famílias e para guerras.

Isso é um pouco da cultura indígena aqui da minha região, mas tem muito mais, em um próximo texto posso contar para vocês.


E agora um pouco mais sobre o Japão. Tem tanta