Os olhos do mundo, a voz de todos





O mundo é a nossa casa. Os olhos, nossa janela. A palavra, a arma de nossa alma. Num mundo onde todos somos imigrantes, onde ainda pessoas são exploradas, escravizadas, torturadas pela miséria, pela desigualdade, cabe a todos amplificarem vozes emudecidas por esse abismo.

O Praticutucá, projeto super parceiro, da querida e amada Rejane de Musis, mulher força, que não desiste de seus sonhos, leva a todos a literatura de autores negros e indígenas, que sofreram e sofrem há séculos a perda de suas raízes, a negação de sua cultura, da sua beleza. Vamos ouvir suas histórias, vamos ler seus livros, cantar suas músicas. Vamos lembrar que um resgate histórico de faz com múltiplos olhares, com conhecimento, com a certeza que erros cometidos no passado são irreparáveis, mas podemos minimizar as dores se nos olharmos como um todo.


Como diz, Emicida:


O céu é meu pai,

a terra mamãe

E o mundo inteiro é tipo a minha casa



O mundo é a casa de todos nós. Então que todos possamos ser ouvidos, que todos tenhamos direitos garantidos e respeitados, que todos tenhamos acesso à educação, saúde, moradia digna, à arte, à cultura. O mundo só será bom se for de e para todos.